sbmac@sbmac.org.br

(16) 3412-9752

Pesquisar

Quarto dia em Foz apresenta Probabilidade e Análise Funcional como destaques no Encontro Brasil-China de Matemática

Evento organizado por SBM e SBMAC reúne acadêmicos de leste a oeste do globo e é a chance de alunos brasileiros conferirem, ao vivo, trabalhos de referência na área pela 1ª vez

Vice da SBM, Jaqueline Mesquita foi destaque nas plenárias desta 5ª em Foz do Iguaçu

O penúltimo dia do Encontro Conjunto de Matemática Brasil-China prosseguiu com ótimo público no JL Hotel By Bourbon, em Foz do Iguaçu, e deu continuidade para a integração entre pesquisadores célebres das duas nações. A Sala Brasil novamente foi palco de palestras esperadas e sessões temáticas que abriram debate para o desenvolvimento tecnológico da área. O evento é organizado pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e pela Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC) em parceria com a Sociedade Chinesa de Matemática.

Quem iniciou a jornada em Foz do Iguaçu na quinta-feira (20) foi Jaqueline Mesquita, Vice-Presidente da SBM. A professora do Departamento de Matemática da Universidade de Brasília (UnB) deu ênfase na sessão plenária a uma de suas especialidades acadêmicas: Análise Funcional. E pelo que viu de cima do auditório, ela observa que o objetivo do encontro foi alcançado. 

Jaqueline revelou que vários pesquisadores brasileiros já planejam viajar para a China após a realização do Encontro em Foz

“Considero que o evento está sendo um sucesso. Já escutei vários colegas dizendo que conseguiram estabelecer contato com pesquisadores chineses e já estão planejando suas viagens para lá”, contou Jaqueline, mencionando que a próxima edição do Encontro será no Oriente em 2024. 

Na sequência, a matemática brasileira deu espaço para Jian Ding, pesquisador chinês pela Universidade de Pequim, que utilizou seu tempo para adentrar na Teoria da Probabilidade. O tema fez de Ding uma das referências do Departamento de Matemática de Chicago, nos Estados Unidos. A propósito, a trajetória no Ocidente é mais vasta ainda. 

Jian Ding apresentou o tema da Teoria de Probabilidade, uma de suas especialidades, em sua plenária na Sala Brasil

Ding é professor do Departamento de Estatística da Universidade da Pensilvânia após obter seu PhD em Berkeley, em 2011. Sua contribuição na matemática estadunidense também alcançou outra universidade de respeito, Stanford, antes de completar seu pós-doutorado no Instituto de Pesquisa em Ciências Matemáticas (MSRI, sigla em inglês). 

A apresentação de grandes referências da China na área em solo brasileiro faz Jaqueline se orgulhar do propósito do encontro. “Esse evento é muito importante para trazer essa cooperação entre Brasil e China. São países com enorme potencial na área de matemática. Poder fazer essa colaboração entre pesquisadores, ter um evento para fomentar essa cooperação me traz um sentimento de dever cumprido”, concluiu. 

Paolo Piccione, Presidente da SBM, e Pablo Martín, Presidente da SBMAC, acompanham palestras no 4º dia de Encontro Brasil-China

Kaye Oliveira da Silva, da Universidade Federal de Goiás (UFG), tem aproveitado intensamente as atividades ao longo da semana e considera ter acertado em viajar mais de 1.300km para participar da iniciativa. 

“Essa é a primeira vez que participo desse evento. Nem tinha ciência de que existia, por isso estou gostando muito de conhecer o trabalho de outras pessoas, em especial da comunidade de matemática chinesa. Recentemente comecei a trabalhar com um chinês, então é muito produtivo para ambos os países. As plenárias têm sido muito interessantes e, para mim, tem sido muito frutuoso participar disso tudo”, disse.

Já Marcos Tadeu de Oliveira Pimenta enxerga que a participação no Encontro é satisfatória por aproximar seu trabalho de referências do outro lado do mundo e também por contribuir para a continuidade de sua linha de pesquisa. 

Marcos Tadeu de Oliveira Pimenta aprovou Encontro por aproximar linhas de pesquisa de dois países tão distantes cultural e geograficamente

“Esse tipo de evento é excelente. Até pela distância geográfica entre Brasil e China, nós não temos tantas chances de conhecer o trabalho do pessoal, então é essencial para estreitar a relação dos dois países e as duas comunidades de matemática. O Encontro permite, muitas vezes, nos surpreendemos ao ver pessoas trabalhando com argumentos mais próximos do que a gente pensava. Tudo isso também contribui para a continuidade da nossa pesquisa”, encerrou o pesquisador da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Encontro Brasil-China vai até esta sexta-feira (21) em Foz do Iguaçu com apresentação de projetos de acadêmicos de referência em Matemática

O Encontro Conjunto de Matemática Brasil-China teve o apoio do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a Fundação Araucária, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), além dos seguintes patrocinadores:

A programação completa do Encontro, que vai até esta sexta-feira (21), está disponível no site oficial do evento.

Compartilhe