PREMIO_KEPLER_curvas-01 (1)

Inscrições encerradas!

As inscrições para a segunda edição do Prêmio Johannes Kepler da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional foram realizadas de 18 de outubro de 2021 a 28 de fevereiro de 2022.

Participaram artigos publicados entre 2017 e 2021 que atendessem às condições definidas no Regulamento do prêmio.

O processo de seleção seguirá o cronograma abaixo:

CRONOGRAMA
Recebimento dos artigos pela Comissão Julgadora de 18/10/2021 a 28/02/2022
Análise e Julgamento de 01/03/2022 a 30/06/2022
Publicação do resultado no site da SBMAC Até 31/07/2022
Premiação durante o XLI CNMAC

A comissão julgadora da edição 2022 foi composta por José Mario Martínez (presidente), Pablo Ferrari, André Ponce de Leon Carvalho e Soledad Aronna.


Sobre o prêmio

O Prêmio Johannes Kepler, instituído pela SBMAC, tem como objetivo promover e estimular a produção científica nacional de excelência em Matemática Aplicada, com características multidisciplinares. O prêmio consistirá em um diploma certificado pela SBMAC e remuneração de R$ 10.000,00.


Podem concorrer ao prêmio artigos científicos publicados em revistas de circulação internacional e com corpo editorial de reconhecida competência, dedicados a temas que exijam forte interação entre a Matemática e outro ramo do conhecimento científico. Pelo menos um dos autores deve atuar profissionalmente no Brasil e pelo menos dois dos autores devem ter formação em áreas de pesquisa distintas, tendo uma delas estreita ligação com a Matemática.


A próxima edição do prêmio será outorgada em 2022, seguindo o calendário acima.

Johannes Kepler: o 1º Cientista de Dados da História


Inspirados pelo slogan de nossa gestão, “A SBMAC na Sociedade do Conhecimento Interdependente”, instituímos recentemente o PRÊMIO KEPLER, a ser oferecido anualmente, a partir de 2020, dedicado a artigos científicos que tratem de problemas complexos da realidade e que tenham como autores pesquisadores das ciências matemáticas e de outro ramo do conhecimento de onde se origina o problema.


De acordo com uma nota da SIAM NEWS, de 2017, Kepler foi o primeiro cientista de dados da história da humanidade. Matemático e astrônomo alemão, Johannes Kepler (1571 – 1630) foi personagem fundamental na revolução científica do século XVII, célebre por sua formulação das três leis fundamentais da mecânica celeste.


Além do tumulto religioso e político de sua época, não teve vida fácil: seu pai foi um mercenário, cruel e violento em casa, e sua mãe foi acusada de bruxaria (por pouco não foi para a fogueira), por conta dos interesses no poder curativo das ervas. Kepler estudou teologia, mas suas habilidades matemáticas o levaram a ser professor de matemática em Graz, na Áustria. Em uma de suas aulas, associou o sistema heliocêntrico de Copérnico (publicado em 1553) à geometria euclidiana e se perguntou: por que existem apenas 6 planetas? Urano e Netuno eram ainda desconhecidos.


As ideias de Copérnico, contrárias ao geocentrismo (aceito por 15 séculos), ficaram quase 50 anos sem defesa pelos astrônomos. Foram retomadas por Kepler, aos 25 anos, em sua obra Mysterium Cosmographicum. Kepler queria dispor os planetas e os sólidos platônicos concentricamente, um dentro do outro, para poder calcular as proporções relativas de cada uma das órbitas e dos poliedros associados.


O professor universitário daqueles dias era mal remunerado e tinha liberdade intelectual limitada. Para os poucos astrônomos qualificados que não conseguiam uma posição em alguma universidade, restava a carreira eclesiástica ou o trabalho como astrólogo em alguma corte. Recursos para instrumentos de pesquisa eram muito raros, com exceção de Tycho Brahe, o maior astrônomo da época e matemático imperial da corte de Rodolfo II, em Praga, que dedicou toda a vida à observação astronômica. Com a situação religiosa em Graz insustentável, a convite de Tycho, Kepler foi para Praga. Divergiam em tudo, mas à medida que trabalhavam juntos, um respeito mútuo foi sendo construído. Tycho queria que seus dados dessem suporte ao sistema misto proposto por ele, com o Sol girando em torno da Terra e os outros planetas girando ao redor do Sol. Com a morte de Tycho, em 1601, Kepler é nomeado seu sucessor.


Kepler foi incumbido por Tycho de estudar a órbita mais complicada, a de Marte, e achava que resolveria o problema em 8 dias. Com quase 8 anos de trabalho duríssimo, concluiu que a órbita marciana poderia ser descrita por uma elipse, com o Sol ocupando um dos focos. A hipótese dos sólidos platônicos e, em particular, o movimento uniforme em círculos perfeitos, princípio fundamental da cosmologia desde Platão (com aprovação de Ptolomeu, Copérnico e Tycho), deveriam ser abandonados. Com Tycho e Kepler, o vínculo com o pensamento místico foi rompido e uma nova era estava a caminho.


Carlile Lavor
Presidente da SBMAC (2018-19)

Os números complexos estão presentes no nosso cotidiano de uma maneira insuspeitável como, por exemplo, no desenvolvimento de carros e de aviões nos túneis de vento, na forma dos átomos e das moléculas, no escoamento de fluídos e nas Engenharias, especialmente na Elétrica.

A logomarca do prêmio Kepler é baseada no software F(C): Funções Complexas, desenvolvido em 2003 por um ex-aluno da Licenciatura em Matemática da Unesp Bauru, durante seu mestrado na Pós-Graduação da Faculdade de Ciências.

Em 2018, a UFABC promoveu a Mostra de Divulgação Científica: Matemática, Arte e Tecnologia, composta de uma coletânea de 23 quadros sobre o Domínio Colorido de Funções Matemáticas, todos produzidos a partir do F(C), que possibilita ao usuário a produção de imagens a partir de funções complexas elementares através da alteração de parâmetros.

O trabalho é fruto de pesquisas na área de ensino e aprendizagem em Matemática e está sendo proposto para o público acadêmico que aprecie uma a beleza produzida pela combinação de Matemática e Tecnologia. O objetivo da Mostra foi apresentar os números complexos, suas funções e as possíveis aplicações nas Ciências Exatas num novo contexto, associado à Computação Gráfica.

Vencedores

2022

Disclosing contrasting scenarios for future land cover in Brazil: Results from a high-resolution spatiotemporal model, de autoria de Arthur Nicolaus Fendrich, Alberto Barretto, Vinícius Guidotti de Faria, Fernanda de Bastiani, Karis Tenneson, Luis Fernando Guedes Pinto e Gerd Sparovek. Science of the Total Environment, Volume 742, 10 November 2020, 140477.

Comissão Julgadora:
José Mario Martínez (presidente), Pablo Ferrari, André Ponce de Leon Carvalho e Soledad Aronna.

2020

Context tree selection and linguistic rhythm retrieval for written texts, de autoria de Antonio Galves, Charlotte Galves, Jesús E. García, Nancy L. Garcia e Florencia Leonardi. Annals of Applied Statistics, Volume 6, Número 1 (2012), 186-209.

Comissão Julgadora:
José Mário Martínez (presidente), Abimael Loula, André de Carvalho, Nair Abreu e Pablo Ferrari.

Compartilhe:

CONFIRA NOSSOS DESTAQUES

A SBMAC cria um ambiente propício para o intercâmbio de ideias e experiências entre pesquisadores(as), profissionais e estudantes das mais diversas áreas da Matemática Aplicada e Computacional. Parte importante de nossas atividades é dar destaque, através de prêmios e publicações, à pesquisa desenvolvida na área pela comunidade científica.